sábado, 19 de junho de 2010

Morreu um génio


José Saramago faleceu ontem, dia 18 de Junho, com 87 anos de idade.
Autor de dezenas de obras... Prémio Nobel da Literatura.

Um génio da actualidade e um escritor de primeira qualidade. Fiquei chocado e, sem dúvida, Portugal fica mais pobre. Para dizer a verdade, acho que Portugal ficou com, pelo menos, metade de toda a riqueza da qual se poderia gabar...

Infelizmente, embora muitos leitores saibam do valor deste homem, só posso culpar a nossa nação por nunca ter dado o valor que o nosso Nobel merecia. O resto do mundo reconheceu a sua genialidade, admirou-o pela sua obra, e o nosso pequeno país, que podia ser orgulhoso por ter sido berço desta personalidade, muitas vezes subvalorizou todas as suas ideias (mesmo que pouco nacionalistas). Vergonha em vós, vergonha em nós, vergonha em todos esses mesquinhos que hoje ocupam altos cargos políticos que o insultaram e quase o fizeram perder o Nobel.  Vergonha.
Ouvi ontem uma série de comentadores, muitos deles padres e pessoas do meio religioso. Foi com verdadeiro choque que vi palavras de Saramago serem usadas em prol da Igreja, padres que aproveitaram esta hora para defender um lado religioso no autor... Como se a sua morte fosse uma espécie de vitória de Deus sobre o Homem, como se com ele sem vida pudessem julgar as suas afirmações como de falso ateísmo.

Saramago, há uma revolta que cá continua.
Do que terei mais pena é não voltar a ler novas obras suas, não poder acordar e saber que vai ser publicado um novo livro. Disso terei saudades. Eu sou daqueles que acreditava que conseguiria viver para sempre. Quem me diz que não o conseguiu?

Até sempre. Talvez nos encontremos um dia.

7 comentários:

Moura Aveirense disse...

Também fiquei chocada com a notícia e vou sentir muita, muita falta de um novo livro dele...

Ana Carolina disse...

Pedro, há muito não comentava neste teu espaço e foi um texto como o teu que me moveu a fazê-lo.
Sem dúvida, que todos os portugueses ficaram mais pobres. Eu não sei o que dizer mais. Eu concordo muito contigo. Vou partilhar na minha página do facebook este teu texto, com os devidos direitos de autor. ;)

(Já agora, estou a ler A Mecânica do Coração)

Iceman disse...

Pedro.

Saramago tem uma vasta legião de leitores em Portugal. Reconheço qe fora de Portugal, principalmente Espanha e Brasil, são muito mais, mas eles também são mais do que nós.

Ou seja, não acho que o país não o valorizou. Quem não o valorizou foi a classe política e do clero, mas para esses estou-me completamente a cag..., desculpa, a borrifar, esses são exterco e não continuam absolutamente para nada.

Aqueles que Saramago procurava chegar são pessoas como tu e eu, pessoas comuns que lutam dia-a-dia. E muito ele me ensinou, sobretudo a pensar e a observar com sentido crítico e aí entra a hipócrisa, em Portugla a crítica não é bem vista criticar é ser do contra, não pertencer ao rebanho, é por isso que Saramago se viu obrigado a saír do País, simplesmente cansou-se.

Lamento sim aqueles, habituados a leituras fáceis, que dizem não ler Saramago porque os seus livros não têm pontuação. Falso. Conforme dizia Saramago, ler dá trabalho, dá trabalho interpretar e quem diz que os livros dele não têm pontuação são aqueles que lêm livros fáceis onde nem sequer é necessário interpretação tal a futilidade das obras. E também há aqueles que dizem por dizer, esses nem em revistas pegam.

Agora que Saramago merecia mais "publicidade"? Isso sem duvida, assim como merecia um "clube" que envolve-se a leitura em voz alta das suas obras, sei lá, a obra dele é tão vasta, todos os livros têm um pouco de outros, frases inteiras de dúbias interpretações.

Saramago é imortal, curioso ele que sempre disse que a morte é a coisa mais natural que existe, a física claro.

Um abraço

Iceman disse...

Ah, e agora vai-se assistir à exploração da figura por parte da editora e a um crescente numero de leitores que vão procurar as suas obras.

Não faltará muito para que muitos que antes criticaram a "falta de pontuação", comecem a dizer que o homem FOI um génio.

Manuel Cardoso disse...

Eu acredito que Deus está com Saramago. O Deus em que eu acredito não pode ser compatível com tanta hipocrisia.
Revejo em Saramago muito mais de Jesus Cristo do que na maioria dos membros da Igreja.

Pedro disse...

Moura Aveirense,
quem não ficou? Quer dizer, quem esperava que este homem fosse falecer?

Ana Carolina,
muito obrigado! ^^ Se puderes deixa o link para o teu Facebook!
(ai, acho que tenho saudades de conseguir ler livros pequeninos e sair emocionado)

Iceman,
sinceramente, os vários políticos que o desvalorizaram, que praticamente o insultaram, alguns até vetaram o seu livro... São esses que me levam a escrever dessa maneira. Que a morte do escritor não lhes suba à cabeça.
São esterco!
As suas obras são das melhores leituras que tenho, e ouvi sair da sua boca palavras sempre profundas. Só posso realçar o sentido crítico com que era capaz de olhar para o mundo, e realmente ensinou-nos muito.
Concordo absolutamente com o que dizes sobre a sua escrita. Sinceramente, quando leio alguma coisa dele, não me baralho nos diálogos, não misturo as frases. Obriga o leitor a entrar ali dentro, a seguir, e então facilmente vemos à nossa frente o desenrolar de uma conversa.
Bem, e não é que estás certo? 800%, foi o quanto aumentou as vendas dos seus livros!!

Manuel Cardoso,
segundo a ideia que tenho de Jesus Cristo... Bem, Saramago não está apto a incentivar uma toda religião, mas ambos foram grandes pensadores! =)

Boas leituras

Ana Carolina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Quem também lê