domingo, 7 de fevereiro de 2010

O Amor Está no Ar, de Dorothy Koomson

Deixe-se levar pela magia do amor...


Depois de sair de Londres para seguir o seu desejo de mudar de vida, Ceri D'Altroy jura abandonar definitivamente as suas manias de casamenteira. Isto porque parece que a sua simples presença acaba por incentivar as pessoas que encontra pelo caminho a mudar de vida.

No seu novo emprego, conhece Ed que decide declarar o seu amor por uma mulher que o enlouquece; Mel e Claudine, dois amigos de longa data que resolvem iniciar um romance ilícito; e Gwen, a chefe de departamento que é uma fumadora compulsiva e esconde um segredo profundo e sombrio que só quer partilhar com a sua nova funcionária.

Quem entra em contacto com Ceri, nunca mais volta a ser o mesmo.
Será ela o Cupido dos tempos modernos?

Sobre A Filha da Minha Melhor Amiga

"
A Filha da Minha Melhor Amiga é uma curiosa revelação, que exige muita reflexão, até que todas as peças do enredo se encaixem." The Times (NZ)

"Não consegui parar de rir e chorar, desde a primeira página. Dorothy Koomson aborda questões da maturidade: a amizade, a morte, a traição e o perdão - uma leitura comovente." Adele Parks


Este é um livro bastante leve, bastante fácil de ler, e que desde as primeiras palavras me agarrou. Dorothy Koomson tem um dom para a escrita, tem esse dom de nos fazer ficar agarrados ao livro, não largá-lo porque simplesmente não precisamos. Koomson é uma escritora que nos dará, sempre uma excelente leitura.

Ceri é uma mulher que vê Oprah. E, como todas as mulheres que vêm Oprah, faz das suas palavras uma espécie de Bíblia, algo por que seguir. E decide, então, mudar-se de Londres para Leeds, dar aulas de Psicologia.

Em Leeds, conhece uma data de personagens que se vão abrir a ela, e ela própria vai reflectindo sobre a sua própria vida. Não é muito feliz, já que está apaixonada por uma personagem de televisão... Enfim.

É, portanto, um livro bastante fácil de ler, muito engraçado, uma leitura perfeita porque, embora não seja um clássico, nunca nos deixa mal.
Tenho a dizer, contudo, que esperava outra coisa deste livro.

As minhas expectativas não tiraram o prazer da leitura, mas a sinopse enganou-me bastante nesse sentido. Estava à espera de um livro mágico, de algo ainda mais encantador. Sinceramente, era magia que estava à procura.
Encontro, no entanto, um livro que nada tem disso. Sinceramente, não acho que Ceri seja a personagem apresentada na sinopse.
Conhecemo-la bastante bem ao longo do livro, e isso achei que está bastante bem feito. Mesmo contado pela primeira pessoa, não se podia aproximar mais do leitor! Porém...
É apenas uma mulher normal, com as suas "pancas" um pouco pessoais, e isso sim torna-a uma querida, mas ainda assim não deixa de ser uma mulher como todas as outras. Não é nenhuma casamenteira, é apenas uma mulher com quem é fácil de conversar... E depois, estava à espera de uma Ceri muito mais única, muito mais ela própria, para além do "Cupido dos tempos modernos". Não digo que, a certo ponto, não se torne a personagem essencial nas relações de tudo e todos, mas até lá não foi essa a questão. Ela própria poderia ter sido uma personagem mais forte, o que não acho que tenha sido.

Ainda assim, volto a dizer que é um livro extremamente engraçado. Com uma escrita bastante emocionante e simples, ao contrário da densidade de Bons Sonhos Meu Amor. Divertido, solto, sem quaisquer preconceitos, esta é uma leitura que aconselho vivamente.

10 comentários:

Sophie disse...

Já li todos os livros da autora, mas este por acaso não conhecia...Tenho de ler!

Beijinho

branca de neve disse...

Olá
Não li este livro. Li "A Filha da Minha Melhor Amiga" e achei extraordinário. "Pedaços de Ternura" é um bom livro, mas enfim, apenas isso, embora mesmo assim me tenha prendido. Este n~~ao tenciono ler para já, pelo menos. Antes gostava de ler BOns Sonhos Meu Amor. Não gosto de luvros muito levezinhos. Bj

branca de neve disse...

Olá
Não li este livro. Li "A Filha da Minha Melhor Amiga" e achei extraordinário. "Pedaços de Ternura" é um bom livro, mas enfim, apenas isso, embora mesmo assim me tenha prendido. Este n~~ao tenciono ler para já, pelo menos. Antes gostava de ler BOns Sonhos Meu Amor. Não gosto de luvros muito levezinhos. Bj

Pedro disse...

Sophie,
este é o livro mais recente, saiu ainda esta semana ;) Portanto, altura de ler mais um! E de certeza que vais gostar!

Branca de neve,
gostava de ler "A Filha da Minha Melhor Amiga", e confirmar as tão boas críticas.
Quanto a "Bons Sonhos Meu Amor", é um livro bastante triste. Nada levezinho. Mas, como a autora já nos habituou, que nos agarra.


Boas leituras!

Paula disse...

Não estava a pensar em ler este livro, mas a tua classificação está a fazer-me ponderar :P
Um abraço

B. disse...

Olá Pedro!

A tua opinião deixou-me ainda mais curiosa...

bjs

Otário disse...

Entre 24 de Fevereiro a 24 de Março a Super Bock promove o concurso Super Bock Super Blog Awards, o Blog-do-Otario está a participar na categoria Humor e Entretenimento. Para Votar, basta ir a Blog-do-Otario e clicar no dístico do concurso.

Ps: Esta é uma mensagem que será enviada identicamente a outros blogs, cujos moderadores sigam, de momento o Blog-do-Otario.
Merci very much,
Danke Beaucoup!

t i a g o disse...

Logo pela própria capa se concluiu que é um livro leve. Talvez o leia, no entanto confesso que não faz muito o meu género de leitura. :P

Boas leituras!!

Passa pelo Lydo, que está lá até Domingo um passatempo no qual podes ganhar um exemplar do livro «O Passado que Seremos» da Inês Botelho!

ThayFreir disse...

Pedro.. realmente parece ser um ótimo livro.. Amei a resenha.. Aliás, o blog inteiro está perfeito. Um os melhores que já li. Parabéns. Tem um selo pra vc lá no meu blog caso lhe interesse. Voltarei aqui para ler a próxima resenha e já anotei a dica do livro. Bjos

Cantinho da Leitura disse...

Olá!

Concordo plenamente, a sinopse contida no verso do livro, não descreve de forma correcta o conteúdo que nele se encontra.

Achei também que Ceri não era casamenteira e muito menos o Cupido dos tempos modernos! Era sim uma mulher muito sociável, uma grande amiga, boa ouvinte e óptima conselheira.

É uma narrativa comovente, como é habitual no estilo da escritora, mas com um perfil de maior entretenimento. Só espera era que fosse mais emocionante…

Parabéns pelo blog...

Bjs

Quem também lê