quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Equador, de Miguel Sousa Tavares



Finalmente, acabei o livro.

Não me lembro da última vez que li um livro com tanta calma, com tanta lentidão, mas também com tanta atenção. Foram semanas a fio agarrado a esta obra.

Mas, amigos, valeu a pena: a minha primeira leitura de 2009 é o livro que procurava. Não peço mais do que aquilo que me proporcionou, e apenas tenho a dizer que, para mim, está perfeito.

Se "Rio de Flores" seguir o mesmo estilo, então Miguel Sousa Tavares tornar-se-á um dos meus escritores preferidos (e olhem que nunca pensei dizer isto...).

Na realidade, tem um enredo simples, mas é de uma beleza fenomenal. A descrição é exaustiva, eu diria que o livro é mais descrição do que propriamente história! Mas tão bem me soube estar em S. Tomé e Príncipe, há tanto tempo que não lia um livro que me fizesse ouvir as ondas do mar, o vento marítimo, sentir a areia nos pés, ver azul das praias, percorrer a floresta e a terra africana da ilha... É verdade, este livro tem demasiada descrição, mas saboreei cada bocadinho.
Além disso, tem bases históricas excelentes, e acho que apreendi muita lição. É um retrato muito fiel da sociedade portuguesa nos tempos do final da Monarquia. Cheio de boa informação para interessados. Vê-se que o autor se preocupou em construir um romance histórico de qualidade, mesmo como se desses primeiros anos do séc. XX tivesse saído.

Além disso, as personagens estão bem construídas. Curiosamente, não foram, pessoalmente, o que mais me marcaram (como, por exemplo, aconteceu com "Os Pilares da Terra"), e no entanto "Equador" já é um livro preferido! A maneira como as várias personagens comunicam umas com as outras, como a sua vida afecta os nossos momentos de leitura... De ficar cativado desde a primeira à última páginas, sem interrupções.

Este é "o tal" livro. Aquele que eu procurava desde há muito tempo. Eu simplesmente não peço mais nada, nada mais do que páginas de descrições, de paisagens, de sensações. Aliás (peço desculpa pela comparação), gostei mais de "Equador" do que "A Vida num Sopro", embora muito diferentes há algo que torna o livro de MST como duradouro, marcante, não foi apenas o final que me impressionou mais sim todo o livro. Talvez seja porque há algum tempo que queria ler um livro assim, talvez porque li numa boa altura e demorei bastante tempo, mas a verdade é que acabei de o ler e fiquei bastante bem impressionado. Inesquecível.

21 comentários:

bauny disse...

Engraçado, eu também resisti bastante ao equador... depois quando o li fiquei apaixonada!! Exactamente pelas descrições, pelo clima, por todo o meio envolvente. Quanto ao Rio das Flores tb já li mas não vou comentar... Boas Leituras!

Canochinha disse...

É um livro que espero ler um dia. Já está na estante dos meus pais há uns tempos, à espera que o vá buscar. É uma questão de tempo :)

Pedro disse...

Bauny,
é verdade, este livro tem descrições absorventes! É por isso que gostei tanto.
Quanto ao "Rio De Flores"...???? Porque é que não comentes?? É bom ou mau?

Canochinha,
o facto da série estar a ser exibida fez com que fizesse isso mesmo, pois o livro também é dos meus pais =) Não me arrependi, arrependo-me de não ter pegado nele mais cedo!

Um grande abraço

carla disse...

Estava muito curiosa por ver terminada a tua leitura :)
Queria ler o que tinhas a dizer. Eu também adorei o livro. Como na altura tinha muito tempo livre li num ápice, mas de forma muito atenta. É como dizes “De ficar cativado desde a primeira à última páginas, sem interrupções.”
Quanto ao “Rio de Flores” está em lista de espera.

Curiosamente não me sinto muito atraída para ler José R. dos Santos...mas nada como “tirar a teima”

Vejo que o carteiro já chegou :)
“Rei Morto, Rei Posto”... boa leitura!

Olha, se tiveres oportunidade diz-me o que achas do quadro que mostro no meu post...

Livros em 2ª Mão disse...

Uau! Nunca esperei tantos elogios da tua parte ao MST. :P
"...há tanto tempo que não lia um livro que me fizesse ouvir as ondas do mar, o vento marítimo, sentir a areia nos pés, ver azul das praias, percorrer a floresta e a terra africana da ilha..."
É bem verdade! E penso que o facto do autor ser jornalista, ajuda-o a ter uma descrição muito fotográfica, ajudado-nos a nóa, leitores, a absorver melhor o ambiente.

Cristina disse...

Ainda não li A Vida num Sopro, mas, comparando com a Filha do Capitão, preferi este ao Equador. Ainda assim, não posso deixar de elogiar o Equador porque é uma excelente obra e o autor conquista-nos do inicio ao fim. Li-o de um fôlego e fiquei apaixonada. Podia lê-lo e relê-lo. Ainda bem que tive a capacidade de separar o livro do autor, porque senão não teria descoberto esta história tão fascinante que cativa todas as gerações.

Gosto mais do estilo do JRS, mas não sei explicar porquê. Acho que há muitas semelhanças entre JRS e MST. A escrita é fluída, com muita investigação e com descrições marcantes. Somos transportados para épocas passadas de forma magnífica.

Mónica disse...

Tenho resistindo um pouco ao Equador. Julgo que a razão principal será mesmo o facto de o escritor, enquanto pessoa pública, não me agradar nem um pouco.
A minha mãe já o leu e também gostou muito.
Acho que vou ter de deixar o meu preconcenito de lado e dar uma hipótese a este livro.

Estefânia disse...

Ora Bem....

Ainda bem que gostaste do Equador! Realmente é um livro cinco estrelas e eu, ao contrário de ti, li-o num ápice....mas isso pouco importa comparativamente com a qualidade do livro!

Quanto ao Rio Das Flores eu pessoalmente não gostei tanto mas também é, contudo, muito bem escrito e a história é interessante.Lê e depois quero ver a tua opinião!!!

Estou a ver que agora estás a ler o Estranho Caso de Benjamin Button ...ainda nao vi o filme e também espero a tua opinião literária :)

Continuação de boas leituras!

Tita disse...

Gostei bastante do Equador, e um pouco menos do Rio das Flores =P
No Equador,as descrições das praias deixaram-me maravilhada e com vontade de ir lá ;)

Pedro disse...

Carla,
realmente, o livro é cativante! Fiquei bastante surpreendido, e pela positiva! Parece que acabei por gostar tanto quanto tu!
Quanto a JRS, dá-lhe uma oportunidade ;) Lê, para começar, "A Filha do Capitão".
Quanto ao carteiro, foi muito prestável xD Quando tiver mais tempo passo pelo teu blogue para comentar tudo!

Livros em 2.ª mão,
pois, nem eu xD Afinal, quem diria, o senhor que tem uma cara tão enjoada (sem ofensa) é um excelente escritor...
As descrições são mesmo absorventes, adorei! É raro sentirmo-nos assim tão próximos do local, sentir tudo isso.

Cristina,
Sim, "A Filha do Capitão" ainda continua melhor... É que o de JRS é vivo, além de boas descrições tem muito de histórico, e uma história muito dinâmica. Ainda distingo os seus estilos e, é como dizes, o estilo de JRS parece mais cativante, mais fluido. No entanto, volto a dizer que MST impressionou-me. Não gosto muito dele como figura pública, mas adorei este seu romance =)))

Mónica,
eu venci esse preconceito. E ainda bem que o fiz ;) Vale bastante a pena!

Estefânia,
li-o devagarinho de propósito! =) Mas mesmo assim foi excelente! Quanto ao "Rio de Flores", esperemos que possa ler em breve ;)
Eu estou a adorar (ou melhor, é tão pequeno que já acabei!) "O Estranho Caso de Benjamin Button", é um conto muito especial. O filme deve estar 5 estrelas!!

Tita,
é pena isso do "Rio De Flores"... Mas espero tirar a prova dos nove em breve! =DDD
Eu senti que estava lá, foi simplesmente espectacular. Raro.

Um grande abraço

t i a g o . disse...

E também tenho cá em casa o livro da minha mãe. Talvez lhe pegue... com esta opinião acho que ninguém fica com uma má ideia de Equador. :)

bom fim de semana
ttiago

Nocturna disse...

Pedro.
Estou absolutamente de acordo contigo em relação ao «Equador» . Como ainda não te pronunciaste acerca do «Rio das Flores», fica para mais tarde falarmos dele. MST,escreve muito bem e vale a pena ler todos os outro livros que estão para trás, pois embora fossem crónicas e apontamentos de viagem,podíamos perceber nitidamente que estava ali um romancista a querer saltar, e finalmente apareceu o «Equador» que eu considero um livro deslumbrante e ao qual volto com frequência, nem que seja só para ler algumas passagens de grande beleza .
Quanto ao José Rodrigues dos Santos, lamento, mas não consigo gostar embora tenha feito algumas honestas tentativas.Parece-me que MST e JRS são "campeonatos" muito diferentes e não se pode fazer comparações, embora provavelmente o JRS seja mais fácil, mas o MST, particularmente «Equador» merece, e muito, o esforço.
Um abraço nocturno

Menphis disse...

Li esse maravilhoso livro à uns tempos atrás, e quase todo numa viagem que fiz entre o Porto e Benidorm. é um livro que tem o seu quê de Eça e bastante cinematográfico, tenho pena de não acompanhar a série mas aos domingos ninguém me tira o " Conta-me como foi". Já agora esta obra até parece mais cedo do que as obras o JRS, se calhar a escrita deste deve mais à do Miguel do que o contrário,embora eu aind anão lesse nenhum do JRS. Mas são jornalistas é normal que sejam parecidos.

Paula disse...

O Equador é apaixonante! Senti o mesmo quando o li. Quanto ao Rio de Flores...também já o li, mas só vou comentar depois de o leres.
Continuação de boas leituras...

flicka disse...

Eu não gosto do escritor, tem um ar assim muito frio e distante... Foi por esta razão que não tenho experimentado ainda um livro deste autor. A minha mãe leu "Equador" e gostou muito.
Pedro, foi agradavel ler a tua opinião, é capaz de nos fazer mudar de ideias e experimentar um dia, mas este autor não me convence. Já muitas vezes o peguei e espreitei, e nada. Talvez eu gostasse ler "O rio das flores", a sinopse parece-me interessante que é sobre vários gerações de uma familia e se passa no alentejo, mas terei primeiro que afastar da mente este autor...

Miss Alcor disse...

Ando a lê-lo desde o último fim-de-semana... e estou a adorar! Mal posso esperar para chegar ao fim para saber onde a história me vai levar.

Butterfly disse...

Bem, depois da tua opinião e das excelentes críticas que tenho lido sobre o livro, certamente que vai ser um dos próximos a ler !

Actualmente estou a ler "A Vida num sopro" e estou a gostar ... ;)

Bjinhos

Pedro disse...

Tiago,
Acho sinceramente que deves pegar mesmo nele! ;)

Nocturna,
Espero vir a ler "Rio de Flores" em breve, fiquei curioso!
"Equador" é dos meus livros preferidos sem dúvida... Quanto a JRS, eu gosto bastante e é dos autores que mais me cativa nos seus livros... Talvez porque é uma escrita fluída e recheada de informação!

Menphis,
quanto à série, devo dizer que estou à espera que me surpreenda em S. Tomé, porque já passaram uns 5 episódios (nem sei bem...) e ainda só se passam em Portugal! (mais as cenas na Índia). Devo dizer que é bastante diferente e engloba um leque muito mais vasto de personagens.
Não acho que sejam parecidos, na realidade... MST é muito mais descritivo! JRS aposta mais na acção e informação. Mas são autores que aparecerem numa altura próxima e que, sem dúvida, marcam a nossa literatura.

Paula,
Ora, então quero mesmo ler "Rio de Flores", a ver se decidem dizer alguma coisa xP

Flicka,
Sim, eu também não gosto muito da cara de caracol meio-morto dele =P Mas, acredita, eu fiquei bastante atraído, fiquei impressionado! O homem tem jeito!
Quanto ao Rio de Flores, espero vir a ler em breve...

Miss Alcor,
Ainda bem que estás a gostar! ^_^ Não será, talvez, muito imprevisível, mas eu também adorei! Aquelas descrições são de suspirar...

Butterfly,
espero bem que leias! ;P
Quanto a "A Vida num Sopro", também gostei bastante de ler. Senti um pouco a falta de descrições, coisa que neste não falta... Mas quando acabei o livro fiquei arrebatado!

Um grande abraço

Anónimo disse...

"Equador" - grande livro, sem dúvida!

E já leram a mais bela história de amor alguma vez escrita (dum escritor português)???

JÁ LERAM?

Amanhã digo-vos qual foi a mais bela história de amor que li.

Seve

Marco Caetano disse...

Passei pelo teu blog para te dizer que também adorei este livro e porque não para dar a conhecer também o meu blog onde podes encontrar a minha opinião sobre este e outros livros.

Continuação de boas leituras!

http://conspiracaodasletras.blogspot.com/

Pedro disse...

Anónimo,
LOOOOL nunca disseste xD

Marco Caetano,
obrigado, gosto sempre imenso de ler outras críticas! =)

Quem também lê