quinta-feira, 8 de julho de 2010

O Feiticeiro de Oz, de L. Frank Baum

Quando um ciclone atinge o Kansas, Dorothy e o seu cãozinho Toto são transportados até à mágica Terra de Oz, onde animais selvagens falam, sapatos prateados têm poderes mágicos e as bondosas bruxas oferecem protecção em troca de um beijo. Dorothy acaba por se tornar também inimiga da Bruxa Malvada do Oeste. Com os seus novos amigos, o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Cobarde, depara-se com inúmeros perigos no caminho para a Cidade das Esmeraldas, onde terá de se encontrar com o Feiticeiro de Oz para que conceda a cada um aquilo que mais deseja.
Logo que foi publicado O Feiticeiro de Oz cativou imediatamente a atenção tanto de crianças, como de adultos. Esta edição inclui as ilustrações originais de W. W. Denslow, bem como uma introdução do autor. O livro deu origem ao filme com o mesmo nome, considerado um clássico da história do cinema.

Nem sabia que tinha o livro. Curiosamente, apareceu à minha frente do nada. Não me lembro quando o possa ter comprado, não me lembro de nada senão pensar nos últimos tempos "Hei-de ler".
Portanto, assim que o vi peguei nele. Bastou um dia para percorrer estas encantadoras páginas, e que tenho a certeza será muitas vezes tirado da estante para ser relido!

Todos conhecemos o filme com Judy Garland, a fantástica música "Somewhere Over the Rainbow", e tenho a certeza que todos ainda tremem ao lembrar-se da Bruxa Malvada do Oeste, interpretada por Margaret Hamilton (que, na verdade, adorava crianças).
Ler o livro é finalmente ir para além do clássico cinematográfico e encontrar o conto que lhe deu origem.
Tenho imensa pena de não ter lido o livro mais cedo.

A história que encontramos é a história do filme, sem grandes diferenças, apenas há um maior desenvolvimento no que toca à descoberta dos habitantes de Oz. Para quem já conhece o filme, aprofundar o seu conhecimento nestes peculiares seres é uma mais valia da história infantil!
Ao contrário do que Baum diz ao início, acho que este ainda é um conto "assustador", com cenas nada agradáveis. As "angústias" e "pesadelos" estão lá, na minha opinião, embora não deixe de concordar que é um conto bastante modernizado.
E temos de o louvar por isso. Baum vem criar um conto infantil extremamente original!

É algo bastante inspirador, que lida com bastantes questões morais, desde a aparência à necessidade, e que é capaz de comover-nos com histórias como a do Lenhador de Lata! Todas as personagens são bastante queridas, não há palavra melhor para descrevê-las.

Sem dúvida, um livro mesmo muito, muito bom. A escrita de Baum é um primor, principalmente devido à esperteza e ironia de certas passagens que jovens adultos já conseguirão detectar... E por isso mesmo tendo a classificar "O Feiticeiro de Oz" numa espécie de "O Principezinho": este é daqueles livros que devemos ler em pequenos e sucessivamente à medida que vamos crescendo, pois garanto que irão sempre acabá-lo saboreando-o de maneira diferente. É daqueles livros que devemos reler sempre que pudermos, para notarmos uma coisa: estamos a crescer.

Achei de facto fenomenal um conto infantil moderno (embora publicado em 1900) ser tão original, apresentar personagens tão carinhosas e ser capaz de tal proeza: conseguir deliciar-nos de pequenos até velhos. Acredito que iremos sempre retirar uma conclusão diferente.
Uma obra obrigatória. Um último realce às maravilhosas e engraçadíssimas ilustrações de W. W. Denslow!

9 comentários:

Iceman disse...

Mr. Pedro!

EU sou um fanático por essa obra.

Confesso que nunca li o livro, mas o filme já o vi umas 10 vezes (sem exagero) e vi por duas vezes o Musical de La Féria, sublime.

É uma obra lindissima.

Um abraço!

Miguel

Pedro disse...

Ah, então TENS de ler o livro! Assim que puderes!
Não sei que mais acrescentar para além do que disse, mas se gostas assim tanto da obra tens de lê-la o mais brevemente possível!

Nunca vi o musical de La Féria. Do filme também sou bastante fã.

Daniela Guimarães disse...

A natureza humana é atemporal, esse é o segredo!
Obrigada pela dica e parabéns belo blog.
Te recomendo no Mon Bistro.
Abs.

Artemis @ disse...

Este livro por acaso já li..
É tão bonito.. ^^,
É comovente.. É de ficar com a lágrima no canto do olho.




p.s.3- Esqueci de dizer, o Selinho esta no meu Blog Pensamentos.. xD

Pedro disse...

Daniela Guimarães,
muito muito obrigado!
É verdade, tudo à sua volta pode ser diferente, mas ela em si vai sempre preservar-se bem no fundo. Talvez demasiado fundo, quem sabe... (isto a imaginar nós naqueles cenários futuristas =P) Mas estará lá.

Artemis@,
pois é verdade, eu emocionei-me bastante também! E rapidamente criamos uma ligação enorme com as personagens, são super queridas.
Obrigado!

Boas leituras

Elphaba J. disse...

Não li “O Feiticeiro de Oz”. Eu sei, é um crime!

Mas o meu nick diz tudo, correcto? ;)

Eu sou uma fã incondicional do livro “A Bruxa de Oz – Gregory Maguire” e da personagem Elphaba é algo que ainda hoje influencia a minha pessoa e me transcende.

Já leste o livro? Adoraria ouvir a tua opinião a respeito do mesmo pois aprecio imenso o teu espírito crítico!

Pedro disse...

Tens mesmo de ler "O Feiticeiro de Oz"! =) posso até dizer que, embora infantil, foi dos melhores livros que li ultimamente.

Esse, infelizmente, ainda não li. Apontarei, ainda assim, como uma aquisição obrigatória! Já me chamava a atenção ainda assim ;)

Elphaba J. disse...

Hei-de ler, mas para já ainda tenho um odiozinho, como aquelas comichões que não fazem ferida mas incomodam, pela Dorothy que não me permitiria encarar o livro com mente aberta. :S

Ps: para te aguçar a curiosidade se quiseres espreita o meu espaço, tenho um cantinho só para a Elphaba. Claro.

Pedro disse...

HAHA pois é, bastante interessante realmente! Eu adoro a personagem, é uma personagenzinha imensamente querida, mas tu que leste "A Bruxa de Oz" de certeza que não vais pensar o mesmo!

Realmente, aguçou-me bastante o bichinho ;)

Quem também lê