sexta-feira, 17 de julho de 2009

Escolhi o Teu Amor, de Emily Giffin


Como se pode voltar a amar verdadeiramente alguém se ainda não esquecemos quem partiu?

"Escolhi o Teu Amor" é uma história envolvente sobre uma mulher na encruzilhada da vida e das emoções e sobre as razões que, por um lado, nos fazem escolher amar quem amamos e, por outro, nos impedem de esquecer quem nos partiu o coração.

A relação de Ellen e Andy não é só aparentemente perfeita.
Eles amam-se verdadeiramente. Não há dúvidas de que a sua relação é repleta de entrega e devoção mútuas.
Até que um dia Ellen cruza-se com Leo, o ex-namorado com quem manteve uma relação problemática e obsessiva; o mesmo homem que um dia, sem explicação, a deixou e lhe despedaçou o coração.
Leo, que Ellen nunca esqueceu e que, oito anos depois, reaparece por acaso e faz com que ela questione se a vida que tem é, afinal, a vida que quer e merece.

"Uma Jane Austen contemporânea."

Cincinnati Enquirer

Não penso que alguma vez fosse ler este livro. Não porque o achasse de pouca qualidade, mas porque... Não faz o meu género de livro.

É um romance feminino, sem dúvida. Mas muito mais interessante do que julgava.
Ao contrário do que pensava, não é nada fútil, pelo contrário.

Ellen é casada com Andy, e eles são o casal perfeito. Têm uma relação marido-mulher invejável, que os permite ter uma confiança extrema em cada um.
Até que Ellen encontra Leo. Leo é o ex-namorado que já não vê há oito anos, mas a sua relação foi deveras marcante na vida de ambos. Encontrarem-se foi como se o passado de Ellen, e todas as dúvidas e paixão que ficaram para trás, tivessem assaltado o presente, para finalmente ela perguntar: "Quem amarei eu verdadeiramente?".

Uma personagem feminina bastante boa. Porque não é um livro agitado, é bastante calmo até, mas a autora tem a mestria de criar uma personagem cujas reflexões nos puxam, nos fazem sentir ligados à história.
Aliás: até custa acreditar que Ellen não é uma personagem verdadeira!

Se há coisa que sentimos, é afeição pela personagem. Porque todos os sentimentos, todas as suas dúvidas, tudo o leitor consegue sentir, e isso é o que torna o livro uma leitura tão agradável.
Não se trata aqui apenas de amor. Trata-se de uma data de sentimentos, que também passa pela amizade, pela lealdade, a traição, a solidão, a tristeza, estranheza, uma série de emoções pelas quais Ellen passa...

Se querem um livro que fale sobre decisões, sobre escolhas na vida, sobre sentimentos, este é o tal.

Uma vez começado, é difícil não querer ler mais. Não o posso incluir nos típicos romances cor-de-rosa, porque na minha opinião trata-se de uma viagem individual muito mais rica e que nos atinge muito mais.

As mulheres devem ler este livro. Sem ter um enredo sobressaltado, tem antes uma personagem feminina que se encontra numa dúvida forte entre dois amores muito fortes. Este livro discute coisas pelas quais qualquer mulher já passou ou já pensou. Ideal.

Os homens... Também devem lê-lo! Não é um livro fútil, pelo contrário. Experimentem conhecer a luta interior da mulher, verão o quão interessante pode ser!

11 comentários:

Canochinha disse...

Concordo com tudo o que disseste... A personagem principal está tão bem criada que facilmente nos conseguimos colocar na sua pele e sentir as suas dúvidas. Acho que é um bom livro para reflectir sobre as escolhas que fazemos na vida.
Já agora, acho que ela tomou a decisão certa no final :)

Ana disse...

Concordo contigo, os homens também deviam de ler este livro!!!

Bom fim de semana!!!

Beijinhos!!!

Ana disse...

Concordo contigo, os homens também deviam de ler este livro!!!

Bom fim de semana!!!

Beijinhos!!!

Francisco Norega disse...

Bem, confesso que estou como tu, "não penso alguma vez ler este livro; não por o achar de pouca qualidade, mas por... não fazer o meu género de livro". Mas depois de ler este comentário... quiçá, quiçá. :)

Já agora, não puseste as "estrelinhas", acho eu :P


Abraço!

Bruno disse...

Só por causa da tua opinião e por ter lido com atenção à sinopse, vou comprar o livro. Isto porque já tive um caso semelhante a essa personagem!

Ana Carolina disse...

E as estrelas, não dás? Parece interessante o livro :)

Pedro disse...

Canochinha,
eu ainda queria discutir um pouco o que é que achei da atitude dela perante cada homem...
Mas decidi não incluir, já que pretendo que as pessoas leiam e descubram isso por si próprias.
Num resumo, sempre achei que ela e o Andy formavam um casal estável, e nessa relação ela era uma mulher, destacava-se. Quando estava com o Leo, a paixão era tal que ficava mais imatura, a fazer lembrar aquelas adolescentes que vivem o sonho das suas vidas, mas sem se destacarem.
Também achei que ela fez a escolha correcta. Eu próprio tenha reflectido muito sobre o papel do casamento! Sem dúvida, um bom livro para olharmos para a vida.

Ana,
=D acho que qualquer ser humano pode ser transportado para estas reflexões.
Entretanto, estive a reler a tua opinião, e concordo com tudo o que disseste.
Eu sou daqueles que acredita que nenhum amor morre, nunca nos esquecemos de quem amámos. Mas à medida que vamos avançando, as diferentes relações adquirem diferentes maturidades. Com grande mestria a autora consegue transmitir isso!

Francisco Norega,
peço desculpa pelas estrelas, esqueci-me xD Já estão dadas.
Este é daqueles livros para se ler com paciência... Quando queremos algo diferente dos nossos gostos, é um bom livro, podes crer!

Bruno,
uma coisa interessante neste livro é ver a atitude de Ellen com Leo e com Andy. É como se tivesse duas personalidades, dois amores, dois casos de diferentes maturidades. Pode ser que te vejas também assim!
Aconselho, então, que experimentes ;)

Ana Carolina,
estão dadas, esqueci-me >.<
3,5 estrelas. Precisamente porque, por gosto pessoal, 4 estrelas já ultrapassa. É, portanto, um BOM livro ;)

Um grande abraço

Paula disse...

Pedro, gostei muito da tua opinião. Não sei se vou comprar, porque tenho tantos ainda na Wish list, mas vou dar uma vista de olhos com toda a certeza!
Abraços

Lili disse...

Gostei muito de seu comentário. E acabei vendo coisas que não tinha reparado, quando li o livro...Estou valorizando mais agora depois do seu comentário.

Parabéns!
Abraço
Lili

Clara disse...

As mulheres e os homens devem ler este livro!! Sim, a vida tem o efeito de nos provocar situações que nos levam a reflectir sobre a vida que levamos. E isso é muito bom...


Beijinhos

Pedro disse...

Paula,
pois, este livro talvez não seja uma prioridade... mas!, vale a pena ;)

Lili,
=) ainda bem que assim acontece! Este é um livro que por acaso até me surpreendeu...

Clara,
;) este livro não é nada do que parece, porque faz-nos pensar mais do que achamos!

Um grande abraço

Quem também lê