segunda-feira, 20 de abril de 2009

Novidades da Porto Editora

Depois de "O Meu Triste Segredo", que se revelou uma agradável leitura, e "Pequenos Gestos de Amor Eterno", que também atingiu as expectativas, a Porto Editora lança mais dois livros que serão do interesse de todos!

No dia 23 de Abril, a Porto Editora publica Bons Sonhos, Meu Amor, o novo romance de Dorothy Koomson, autora de grande sucesso em todo o mundo e também em Portugal, onde as duas obras anteriores já venderam mais de 80 mil livros.
O terceiro livro representará, seguramente, o terceiro sucesso.
Uma autora que conquistou milhares de leitoras logo na estreia em Portugal, com A Filha da Minha Melhor Amiga – já vendeu mais de 50 mil exemplares – e que solidificou prestígio com a publicação
de Pedaços de Ternura – com cerca de 30 mil livros vendidos em 2008.

Descrita como tocante e densa em termos emocionais, a escrita de Dorothy Koomson cria cenários que proporcionam uma reflexão sobre as vivências humanas (os desafios da amizade, a inexorabilidade da morte, a força do amor…). A britânica é já, sem qualquer dúvida, um dos nomes de referência da literatura vocacionada para o público feminino. A Porto Editora prepara, também, a publicação dos primeiros livros da autora do já incontornável A Filha da Minha Melhor Amiga – a chamada backlist – sendo que um deles sairá ainda em 2009.

Nova Kumalisi faria qualquer coisa pelo seu melhor amigo. Ela deve-lhe a vida.
Por isso, quando ele lhe pede que seja mãe de substituição do seu filho e, apesar de saber que
corre o risco de perder a amizade, Nova aceita.
Oito anos mais tarde, Nova está a criar o filho de Mal sozinha, porque a mulher dele mudou de
ideias, escassos meses antes de a criança nascer, destruindo assim a relação entre os dois amigos.
Agora, Leo, o filho de ambos está gravemente doente. Nova quer que Mal conheça o filho antes que seja demasiado tarde.
Na tragédia descobrirão o quanto significam um para o outro.

http://www.portoeditora.pt/ficha.asp?ID=04111



A Breve e Assombrosa Vida de Oscar Wao – este é o título de um dos livros mais aguardados do ano, o vencedor do Pulitzer Prize 2008, e que a Porto Editora dá a conhecer no dia 30 de Abril. O autor é o dominicano Junot Díaz, que, graças a este assombroso romance, alcançou o estatuto de vedeta literária internacional.
Em finais de 2007, o jornal Público, através de um exclusivo do Los Angeles Times, afirmava que o livro de Junot Díaz seria «o primeiro romance mais falado do ano», salientando o facto de ter sido «aclamado» logo no mês em que foi publicado. Menos de um ano depois, a Porto Editora adquire os direitos de publicação em Portugal e vê o romance ser galardoado com o Pulitzer Prize for Fiction.
A 30 de Abril, o país vai poder perceber as razões do estrondoso sucesso internacional deste livro e do autor Junot Díaz, que já têm sido ansiosamente destacados por publicações portuguesas.

Oscar Wao é enorme. E dominicano.
Gozado pelos colegas e isolado do mundo, sonha com raparigas e aventuras extraordinárias, sente vergonha por não estar à altura da reputação viril dos machos dominicanos, mas não consegue mais do que uma vida de desilusões.
Para Oscar, o drama é um fado demasiado familiar.
A sua breve e assombrosa vida está marcada a ferro e fogo por uma maldição ancestral, o fukú, que, nascido em Santo Domingo, é transmitido de geração em geração, como uma semente ruim.
Alimentada pela sorte dos seus antepassados, quebrados pela tortura, pela prisão, pelo exílio e
pelo amor impossível, a história de Oscar escreve-se fulgurante e catastrófica, e integra a grande
História, a da ditadura de Trujillo, a da diáspora dominicana nos Estados Unidos e a das
promessas incumpridas do Sonho Americano.
Em cada página, Junot Díaz cria uma obra de arte: a sua língua é uma manta de retalhos, uma
canção, é uma fenda no muro entre as civilizações, as pessoas e idades, e os seus heróis
perseguem, através do humor e da poesia, o objectivo último de todo o ser humano: o amor.


Obscuro e exuberante… rico e espirituoso… mas, acima de tudo, este livro ousado, divertido e
trágico proporciona exactamente o que um leitor de Junot Díaz esperaria encontrar num romance
seu.
Publishers Weekly

http://www.portoeditora.pt/ficha.asp?ID=04148

Interessados? =)

11 comentários:

Livros de Bia disse...

Oi Pedro.
O primeiro me interessou e muito!!!

Valeu as dicas!

Bjs

t i a g o . disse...

O segundo chamou-me a atenção... mas talvez tenha lido demasiados termos políticos na sinopse... :/

De qualquer das formas, darei uma vista de olhos ^^

Tiago

Lena Almeida disse...

Fiquei curiosa !!
Vou ler, muito obrigada pela sugestão.

Tétis disse...

Olá Pedro,

Obrigada pela informação e pelas sugestões.

É sempre útil aqui vir actualizarmo-nos com o que se vai publicando.

Um abraço.

Iceman disse...

A Breve e Assombrosa Vida de Oscar Wao interessa-me e muito.

angel bar disse...

Tomei nota.


Convite para "Coffe Shot" no Angel Bar.

Boa Semana.

Cidchen disse...

Eu tornei-me completamente amante da leitura. xD

O "bons sonhos meu amor" agrada-me.

Ainda estou à espera da minha encomenda da Wook, isto de encomendar livros que não estão prontos a ser enviados é no que dá. :D

Beijinhos

Borboleta disse...

Estou mais entusiasmada com o segundo livro do que com o primeiro. Boas sugestões, sim senhor :)

Belisa disse...

Olá :)

Para quem tem pouco tempo para ler como eu é mais que interessante o que escreves. Já tenho uma lista enorme de livros que quero ler "gostaria"... mas ainda não perdi a esperança!
Simplesmente adorei!

beijos estrelados

Canochinha disse...

Estou a ler o primeiro e a seguir vou ler o segundo :)
Quanto ao primeiro, estou a achar uma história forte mas um bocadinho deprimente. Espero encontrar uma mensagem positiva no final...

Pedro disse...

Canochinha, estou quase no fim... Até agora, acho que a onda deprimente continua =/ É um livro triste...

No entanto, como mais valia, é um livro em que há uma taxa de emoção constante, página atrás de página sinto que a autora aguenta e bem a nuvem de emoção.

Estou algo ansioso por saber como vai acabar... Estou a gostar bastante, como primeiro livro que leio da autora está a impressionar-me!

O problema é mesmo a história ser deprimente, esperava algo mais alegre e principalmente inspirador! Talvez num outro livro...

Quem também lê